SEDE PARA A ARPIFF


Legenda da Foto: Membros da Assembleia numa visita às instalações da ARPIFF
(da esqª para a dirª)
- Cílio Barradas (1ºsecretário da ARPIFF),Franklim Jorge (PSD), Etelvino Sérgio (vice-presidente da ARPIFF), Fernando Reis e Raquel Torrão (PS), Albino Cabral (Ind.) e José Penha (PSD).



No “MÊS DO IDOSO” divulgamos agora mais um importante documento da autoria do autarca Fernando Reis, apresentado em 21 de Abril de 2006, na Assembleia de Freguesia, onde foi aprovado por unanimidade.

UMA PROMESSA QUE AINDA ESTÁ POR CUMPRIR


CONSTRUÇÃO DE UMA NOVA SEDE PARA A ARPIFF


Num País que tem a sua população envelhecida e vive uma situação económica difícil não surpreende ninguém que a maioria da população da Freguesia de Fernão Ferro tenha mais de 50 anos e além de estar envelhecida esteja também a ficar empobrecida.

A realidade sócio-económica do país e do concelho traz problemas acrescidos aos reformados, pensionistas e idosos desta nossa Freguesia.

Muitos deles viram desaparecer as suas parcas economias com as despesas inerentes à legalização das suas casas, visto esta Freguesia ser constituída na sua maioria por Áreas Urbanas de Génese Ilegal.

Muitas destas pessoas reformadas, pensionistas ou idosas, mesmo querendo, não têm hoje meios para cumprir com as obrigações estabelecidas pela Câmara Municipal.

Com as dificuldades da actual situação económica que estamos a viver agrava-se ainda mais o drama para muitas famílias que estão sem recursos financeiros.

São conhecidos casos de pessoas que não têm sequer dinheiro para comprar os medicamentos que precisam.

A comunidade tem que estar atenta e sensibilizada para esta realidade que não pode ser ignorada.

Todos nós sabemos que as Instituições de Solidariedade Social, pelo papel que desempenham são fundamentais em qualquer comunidade.

Em Fernão Ferro, existe desde 1991, uma instituição particular de solidariedade social, sem fins lucrativos e dirigida por pessoas em regime de trabalho voluntário, que ao longo da sua existência e apesar das suas imensas dificuldades tem prestado um notável serviço social aos reformados, pensionistas e idosos que a ela estão associados.

Esta instituição particular de solidariedade social com a denominação de ASSOCIAÇÃO de REFORMADOS, PENSIONISTAS e IDOSOS de FERNÂO FERRO (ARPIFF) tem a sua sede na Rua da República, lote 276-F, em Fernão Ferro.

O número dos seus associados já ultrapassa os dois mil.
Infelizmente, as suas instalações já há muitos anos que são exíguas e inadequadas para as muitas valências que ali são desenvolvidas sem o mínimo de condições.

O próprio relatório P.I.nº379/05 referente ao processo da inspecção realizada recentemente pelo Instituto de Segurança Social à ARPIFF, reconhece entre outras anomalias que é “notória a falta de espaço para arrumos...”

Em boa verdade, já em 2001, o Sr. Presidente da Câmara Municipal, reconheceu a necessidade de se construir novas instalações, pois só estas poderiam permitir à ARPIFF prestar um trabalho digno e de qualidade tal como é exigido a uma instituição desta natureza.

E para o efeito prometeu a cedência de um terreno com cerca de 3 (três) mil metros quadrados.

Mas a promessa ainda está por cumprir.

Tal como muitas outras que foram feitas posteriormente no sentido de as instalações poderem ser ampliadas o que na opinião da maioria dos seus associados e não só, não é a melhor solução pois muito pouco vem resolver.

A melhor solução é, sem dúvida alguma, a construção de novas instalações num espaço muito mais amplo que o existente de forma a permitir um serviço digno e de qualidade aos seus utentes que cada vez são mais.

A construção de uma nova sede para a ARPIFF num outro local mais amplo traz ainda uma outra vantagem que é a de instalar no espaço deixado vago outros serviços públicos que actualmente estão dispersos por espaços arrendados pela Junta de Freguesia, proporcionando assim uma melhor racionalização de serviços com melhores condições e com menos custos para o erário público.

Por conseguinte, vem esta Assembleia solicitar ao Sr. Presidente da Câmara Municipal do Seixal a atenção que a ARPIFF e os milhares de reformados, pensionistas e idosos desta Freguesia merecem da Câmara Municipal.

Ou seja: A cedência do terreno prometido e a construção de uma nova sejam para a ARPIFF que não só beneficiará esta instituição e os que a ela recorrem mas também a própria Freguesia e o concelho do Seixal que ficará engrandecido com mais uma infra-estrutura digna de todos nós.

Esta Assembleia está disponível para colaborar com a Autarquia, a Junta de Freguesia, o Instituto de Segurança Social e a ARPIFF, para que este grande anseio da comunidade de Fernão Ferro se torne numa realidade.


Este documento foi enviado:

- Presidente da Câmara Municipal do Seixal
– Assembleia Municipal
- ARPIFF





FF aos 08.10.2008

16 comentários:

Mafalda disse...

Caros leitores,

Esta situação não é novidade para mim, no entanto a maioria dos nossos conterrâneos ficarão espantados.
Só se lembram dos idosos nas vesperas das eleições para lhes "caçarem" os votos e depois dão-lhes um xuto no rabo.

Alice disse...

Bem hajam pelo vosso trabalho.Gosto muito dos conteúdos.Estamos todos de parabéns.Obrigado pelo amor e carinho que têm demonstrado pelas pessoas, pela freguesia e pela natureza.

Carlos Manuel disse...

Não entendo como é que uma Câmara e uma Junta de esquerda que supostamente deveria apoiar os mais desfavorecidos, se esqueçe e aproveita dos mais desfavorecidos.
O mundo está virado do ave~sso.

Anónimo disse...

As actuais infraestruturas já estão a dar pelas costuras há muitos anos.
Como a actual direcção faz ouvir a sua voz critica passou a ser considerada persona non grata pelo corredores do convento do Seixal.

Joaquim disse...

Promessas leva-as o vento todos prometem muito na altura do voto mas depois já não se lembram de nós.
Mas há 3ª só cai quem quer.
A ARPIFF para eles não conta, eles querem lá saber de nós para alguma coisa.

Cardoso disse...

Já ouvi dizer que não é no terreno para uma sede nova para a ARPIFF que está o problema pois terreno têm bastante.
Então será um problema de falta de vontade política, porque a ARPIFF não é controlada pelo PCP?

Anónimo disse...

Não consigo entender como é que existe uma aprovação por unanimidade e depois enganam os velhinhos.
Quando se dá tiros nos próprios pés, é preciso serem mesmo sádicos.

Ana disse...

Independentemente de ser uma promessa ou não o que se passa é mais uma vez uma grande falta de visão. Visão essa que deveria ser comum a qualquer leader. Mas como todos devem saber não é leader quem quer mas sim quem nasce para o ser, e por muito que tentem fabricá-los à pressão não é possível.
Vem isto a propósito de algo que mais uma vez não era necessário adivinhar mas tão-somente verificar o que estava a acontecer em outros países mais desenvolvidos que nós, o aumento da esperança de vida. Não é por acaso que foi anunciado em tempos de que tudo o que se relacionasse com a terceira idade iria ser um negócio de futuro.
O problema agrava-se no nosso país devido às baixas reformas, consequência de baixos salários e de períodos contributivos reduzidos e nalguns casos inexistentes, assim a realidade socioeconómica do país e do concelho traz problemas acrescidos aos reformados, pensionistas e idosos. No entanto, e aqui se vêm os verdadeiros leaders, haveria que e em devidos tempo haver feito o devido planeamento, este deve ser feito sempre com o pensamento no futuro e nunca e tão só para remediar situações presentes
Em face de tal há que estabelecer uma rede de cuidados que vá ao encontro de todas as necessidades de um idoso quer ele tenha ou não condições de pagar esse serviço, este deverá ser uma preocupação secundária, que deverá ser equacionada de acordo com o rendimento de cada um.
A comunidade deve estar atenta e sensibilizada para esta realidade e deve contribuir, mas as instituições também se devem abrir à comunidade num processo de partilha sem temores de “invasão de possíveis segredos de estado”.
Fernão Ferro deve exigir mais e melhor qualidade de vida não só para toda a sua população, mas e acima de tudo para os seus idosos
O projecto a desenvolver deve ser pensado para além do existente ao dia de hoje, não só em relação ao espaço necessário, mas criar mais alternativas.
Há que criar uma comissão de utentes ou de possíveis utentes, que para alem de desenvolver o projecto vá junto de quem de direito exercer a pressão necessária para que tal se torne uma realidade, não se pode ficar sentado à espera que as coisas aconteçam, há que fazer com que elas aconteçam, o não já temos certo.
Penso que qualquer cidadão desta freguesia estará disposto a participar em acções que levem à concretização deste objectivo, pode-se fazer qualquer coisa como o que está a ser feito em relação com o encerramento dos SAP do Seixal e de Corroios.
Tenho a certeza que contaremos com o apoio incondicional do Sr. Presidente da Câmara tal e qual como a comissão de utentes dos SAP.
Comigo podem contar.
Cumprimentos

J.João disse...

Os associados da ARPIFF já ficarão muito contentes se...

... o "apoio incondicional" do Sr. presidente da Câmara e da comissão de utentes da saúde no nosso concelho...

... servir para se poder desbloquear nos serviços municipais a burocracia que tem emperrado as pretensões dos dirigentes da ARPIFF.

Reformado disse...

A senhora Ana se conhecesse a realidade deste processo que se arrasta à anos, envolve a freguesia, a Câmara e a Segurança Social,
ouvia primeiro os dirigentes da ARPIFF, percebia depois para perceber os porquês do bloqueio em que estamos.
Depois avance e lidere este processo.
Os dirigentes da ARPIFF e nós reformados agradecemos.
Venha à ARPIFF, visite-nos e comece a trabalhar.
Estamos consigo.

Anónimo disse...

O processo da ampliação do Centro de Dia da ARPIFF é mais uma situação que a maioria dos bloguistas desconhece a verdadeira complexidade.
Não esquecer que o terreno e as actuais instalações devem-se à Câmara Municipal do Seixal.
Deveria ser a Segurança Social a construir e a manter estes equipamentos para os nossos idosos, para a qual a maioria descontou ao longo da vida de trabalho.
No Concelho do Seixal existem 11 Centros de Dia totalmente construídos a expensas da Câmara Municipal e apoiados por esta e pelas Juntas de Freguesia.
É a Segurança Social que está a impedir as obras de ampliação, esclarecimento este, que deverá ser feito pela Direcção da ARPIFF.
Não aproveitem politicamente estas situações porque o telhado pode cair-lhes em cima...

Fernando Reis disse...

Mais uma vez temos o anónimo institucional cá do burgo, homem corajoso que não é capaz de dar a cara.
É que quando der a discussão será outra, bem mais interessante, podem crer.
Será que naquele espaço haverá condições adequadas para o desempenho cabal dos objectivos da ARPIFF.
Para os técnicos da Segurança Social, eventualmente, não haverá.
E quem é que não cumpriu com aquilo que prometeu à ARPIFF durante a campanha eleitoral de 2001?
Foi a Segurança Social ou foi o presidente da Câmara Municipal do Seixal?

Fernando Reis disse...

Se a Câmara Municipal, a expensas suas (ou dos contribuíntes?) já construíu 11 Centros de Dia no concelho porque não constrói em Fernão Ferro aquele que prometeu?
Será porque a população desta freguesia é especial e por isso tem sido discriminada em relação
à do restante concelho?

Firmino disse...

Pobres dos nossos velhotes, mas os que lá chegarão vão saber quanto doi.

Firmino disse...

Pobres dos nossos velhotes, mas os que lá chegarão vão saber quanto doi.

Silva Brás disse...

Senhor Fernando Reis poderá explicar-me porque não está ninguem do grupo da CDU na imagem?
Eles estarão impedidos de entrar na ARPIFF?